Paisagens de aprendizagem: uma poderosa ferramenta educacional

Avatar del autor

Margarita González del Hierro

Tiempo de lectura

9 minutos

icon

fevereiro 6, 2024

Índice

O que são paisagens de aprendizagem?

As paisagens de aprendizagem são uma ferramenta pedagógica que nos permite gerar ambientes de aprendizagem imersivos e personalizados para que nossos estudantes obtenham sucesso educacional.

Essa poderosa ferramenta educacional baseia-se no ponto de encontro entre duas das principais inovações educacionais mais conhecidas: a teoria das inteligências múltiplas e a Taxonomia dos objetivos educacionais, também popularizada como Taxonomia de Bloom. Entretanto, esse é apenas o ponto de partida para o desenvolvimento dessa ferramenta pedagógica. Podemos configurá-la usando outras metodologias, como gamificação, um modelo de sala de aula invertida, aprendizagem cooperativa ou aprendizagem baseada em projetos.

A arte suprema do docente é despertar a alegria na expressão criativa e no conhecimento‘.

Albert Einstein

Nessa citação, Einstein não estava falando sobre Paisagens de Aprendizagem porque elas ainda não existiam, mas ele define muito bem sua essência: imaginação, criatividade e conhecimento. 

Por que elas são úteis? 

Vivemos na era da informação, imersos em uma sociedade baseada no conhecimento que está evoluindo rapidamente como resultado das rápidas mudanças na mídia digital e na tecnologia. Isso leva a um novo paradigma educacional no qual as profundas transformações na vida pessoal e institucional desafiam a comunidade educacional a mudar a forma de educar e aprender.

Além de ser uma ferramenta útil para essa mudança educacional, as Paisagens de Aprendizagem atendem às necessidades dos estudantes, fornecendo-lhes um ambiente audiovisual, intuitivo e funcional que nos permite captar sua atenção, tornando o conteúdo mais interessante, obtendo maior retenção de conceitos e aprimorando sua competência digital.

Com essa ferramenta pedagógica, tornamos nossa sala de aula flexível por meio da combinação de conhecimento metodológico e da criação de caminhos de conhecimento personalizados com diferentes estratégias cognitivas que aumentam a motivação e o aprendizado.

O ponto de encontro entre as Inteligências Múltiplas e a Taxonomia de Bloom

Você sabia que as Paisagens de Aprendizagem se baseiam no ponto de encontro entre duas grandes estruturas educacionais?

O que é a Taxonomía de Bloom?

A Taxonomia de Bloom é uma estrutura na qual podemos organizar e classificar as atividades didáticas de acordo com a estratégia cognitiva usada para resolvê-las, ou seja, a maneira como agimos ao aprender. Ela afirma que há seis níveis de domínio do aprendizado: lembrar, compreender, aplicar, analisar, avaliar e criar.

bloom taxonomy 6 steps
📷 Taxonomia de Bloom: 6 níveis de capacidades cognitivas

Se as observarmos, veremos que elas seguem uma ordem lógica. Não podemos construir uma casa começando pelo telhado. Para entender um conceito, precisamos lembrá-lo; para poder aplicá-lo, precisamos entendê-lo; para poder analisá-lo, precisamos aplicá-lo; para poder avaliá-lo, precisamos analisá-lo e, é claro, para criar algo, precisamos lembrar, entender, aplicar, analisar e avaliar. Dessa forma, cada nível envolve uma série de estratégias que orientam o processo de aquisição de conhecimento, competências e habilidades para estabelecer as bases de um aprendizado eficaz, significativo e real.

A versatilidade do Learning Landscapes facilita a definição de diferentes tipos de atividades com base na Taxonomia de Bloom, criando um ambiente adaptável e flexível para que nossos estudantes atinjam os objetivos que queremos trabalhar em sala de aula.

Enquanto isso, a teoria das inteligências múltiplas proposta por Howard Gardner baseia-se no fato de que não existe uma única inteligência, mas que a inteligência é composta por um conjunto de habilidades ou inteligências múltiplas, diferentes e independentes. Todas as pessoas possuem as 8 inteligências, que podem se desenvolver – e isso é fundamental – até atingirem diferentes níveis de competência.

Ou seja, a inteligência não é uma entidade única e fixa, mas podemos crescer em diferentes áreas. Além disso, as inteligências interagem umas com as outras de forma complexa, permitindo uma grande diversidade de inteligências, mesmo dentro de cada categoria. Vamos dar uma olhada nelas com mais detalhes:

📷 As 8 inteligências

  1. Inteligência linguística:
    É a capacidade de usar as palavras de forma eficaz, seja oralmente (por exemplo, como narrador, orador ou político) ou por escrito (poetas, dramaturgos, editores ou jornalistas).
  2. Inteligência lógico-matemática:
    É a capacidade de usar números de forma eficaz (matemática, contabilidade ou estatística) e de raciocinar bem (cientistas, programadores de computador ou especialistas em lógica).
  3. Inteligência espacial:
    É a capacidade de perceber o mundo visioespacial com precisão (por exemplo, como caçador, guarda-costas ou guia) e de realizar transformações com base nessas percepções (internistas, arquitetos, artistas ou inventores).
  4. Inteligência cinético-corporal:
    Ela envolve o domínio do próprio corpo para expressar ideias e sentimentos (atores, mímicos, atletas ou dançarinos) e a facilidade de usar as mãos na criação ou transformação de objetos (artesãos, escultores, mecânicos ou cirurgiões).
  5. Inteligência musical:
    É a capacidade de perceber (como um fã de música), discriminar (críticos de música), transformar (compositores) e expressar (artistas) formas musicais.
  6. Inteligência naturalista:
    É a capacidade de reconhecer e classificar as muitas espécies de flora e fauna em nosso ambiente.
  7. Inteligência intrapessoal:
    Refere-se ao autoconhecimento e à capacidade de agir com base nesse conhecimento.
  8. Inteligência interpessoal:
    Ela se baseia na capacidade de perceber e distinguir o humor, as intenções, as motivações e os sentimentos de outras pessoas.

A base de um cenário de aprendizagem eficaz

Projetar paisagens de aprendizagem é uma experiência. Requer trabalho, mas também é muito divertido criá-las, e é gratificante saber que estamos criando um ambiente que combina elementos lúdicos com um design instrucional adequado, com atividades que são desafiadoras e motivadoras para nossos estudantes. Isso favorece o desenvolvimento de habilidades que estão alinhadas com os objetivos educacionais. Com isso em mente, vamos ao como.

A base dessa ferramenta educacional é ter claro os caminhos de aprendizagem que queremos desenvolver, determinando atividades obrigatórias, opcionais ou de reforço que estejam conectadas ao currículo e que também permitam que o cenário seja adaptável e personalizável para nossos estudantes.

Para conseguir isso, podemos usar o que é conhecido como matriz de programação, que facilita o planejamento das atividades. O cruzamento de cada caixa, convergente entre as 8 Inteligências Múltiplas e os 6 níveis da Taxonomia de Bloom, permite a criação de Paisagens de Aprendizagem equilibradas com atividades coerentes em termos de estratégia cognitiva, recursos necessários, objetivos e, é claro, avaliação.

MODELO

Matriz de planeamento

A avaliação nos permite não apenas dar notas, mas também medir e ajudar os estudantes a atingir suas metas. Ela não precisa focar em um único ato; ao contrário, é mais interessante quando é o resultado da convergência de diferentes ferramentas que aplicaremos dependendo das atividades que programarmos. Podemos empregar títulos, trabalhos, apresentações, funções cooperativas, projetos, portfólios, testes escritos ou testes orais. Isso também pode nos levar a estabelecer alguma classificação ou recompensa a ser concedida à medida que os desafios propostos forem superados.

Além disso, como em qualquer realidade, devemos deixar claras as regras de nosso cenário de aprendizado e lembrar o momento certo. É importante que os estudantes saibam o que se espera deles e quando.

Tudo isso deve se encaixar em um espaço, um ambiente: o próprio cenário de aprendizagem. Para isso, precisaremos de uma narrativa ou storytelling que nos permita atingir o coração de nossos estudantes. Para isso, precisamos desenvolver uma estratégia narrativa que ajude os estudantes a se tornarem parte da comunicação, a mergulharem em uma experiência que vá além de dados, números ou valores. 

É importante que ela seja motivadora, portanto, consideraremos fatores como os interesses dos estudantes, a idade, etc. Podemos pensar em algum conteúdo ou assunto que gostaríamos de abordar. Nessa narrativa, os personagens e os papéis que nossos estudantes terão, especialmente se dermos a eles uma abordagem gamificada, devem ser importantes. Usaremos personagens, enredos e conclusões para contar uma história sobre os materiais educacionais que queremos transmitir, de modo que nossos estudantes sejam os protagonistas.

Quando tivermos tudo pronto (o caminho de aprendizagem, as atividades, a avaliação, a classificação e as recompensas, as normas, o cronograma e a narrativa), devemos esboçar nosso cenário de aprendizagem no papel para começar a criar. Em seguida, chega o momento de transferir tudo para uma ferramenta em que a comunicação visual adquira relevância.

10 elementos para projetar um cenário de aprendizagem

Cada atividade que consideramos, seja ela obrigatória, opcional ou de reforço, deve conter uma série de elementos fundamentais para que nossos estudantes saibam claramente o que se espera deles, como podem fazê-lo e sob quais condições. Colocamos o foco em nossos estudantes para ajudá-los a dar o melhor de si.

Esses 10 elementos são:

  1. Título: como a atividade é chamada
  2. Com qual inteligência e categoria Bloom ela trabalha
  3. Seus objetivos de aprendizado
  4. Desafio: o que precisa ser resolvido?
  5. Resultado ou produto final a ser obtido
  6. Materiais e documentação necessários para a atividade
  7. Tempo de execução
  8. Quais critérios de avaliação serão levados em conta
  9. Que rubrica ou ferramenta de avaliação usaremos para avaliar o produto final
  10. O relacionamento que ele tem com outras atividades na matriz

Crie seu cenário de aprendizagem com Genially

Ferramentas digitais como Genially são fundamentais para a criação de paisagens de aprendizagem. Genially nos permite criar conteúdo interativo no qual nossos estudantes navegam em um mundo narrativo com infinitas histórias em que espaços, personagens, papéis e estética são coordenados pela criação de um quadro de referência e delimitação para o aprendizado. Aprendizagem baseada em projetos, aprendizagem cooperativa, sala de aula invertida, metodologia tradicional… seja qual for o nosso estilo, Genially se adapta à nossa maneira de ensinar.

Um dos recursos mais notáveis de Genially é a versatilidade que ela tem quando se trata de ensino, permitindo que o conteúdo educacional ganhe vida por meio de interatividade, animação e integração de conteúdo.

Graças à interatividade, criamos uma experiência comunicativa que nos aproxima em qualquer ambiente de ensino e ajuda a contextualizar as informações, maximizando a memorização, o pensamento crítico e a criatividade, além de aumentar a participação, a personalização do aprendizado e a motivação na sala de aula.

A animação chama a atenção de nossos estudantes para conceitos importantes. Ou seja, ela permite que você localize facilmente as áreas interativas onde descobre as informações que colocamos em camadas, aumentando a compreensão. Ela também ajuda a priorizar o conteúdo e a aumentar a motivação.

Outro ponto importante é que Genially permite que você integre conteúdo de milhares de provedores digitais. Por exemplo, podemos integrar vídeos do YouTube, tours virtuais ou até mesmo Kahoots. Isso nos permite ter tudo no mesmo lugar, concentrando as informações em um único ponto e evitando que nossos estudantes se percam em um oceano de informações.

Portanto, o Genially é uma ferramenta que facilita a criação rápida de conteúdo didático. Ela facilita a transmissão de conhecimento de forma motivadora e permite que nos tornemos guias de aprendizagem, ensinando o gerenciamento correto dos recursos tecnológicos e promovendo uma aprendizagem mais holística ou integrada para nossos estudantes.

Muitos de nossos estudantes são nativos digitais, e o uso de ferramentas digitais como essa nos ajuda a transformá-los de nativos digitais em qualificados digitalmente. Ou seja, Genially nos dá a oportunidade de instilar julgamento e fornecer conhecimento para que nossos estudantes sejam digitalmente criteriosos, críticos e competentes.

Sem dúvida, uma ferramenta todo-terreno para a sala de aula que nos permite dar o salto das tecnologias de aprendizagem para as tecnologias de aprendizagem, conhecimento e compreensão que, além disso, nos convidam a fazer parte da comunidade de aprendizagem definitiva para dominar a arte de criar experiências de comunicação: Genially Academy, a plataforma gratuita para acessar um universo de cursos e pílulas de aprendizagem que nos tornarão especialistas em comunicação visual interativa e nos ajudarão a dominar Genially e a realizar todo o seu potencial.

Quer saber mais? Convidamos você a acessar o curso gratuito sobre Paisagens de Aprendizagem (em inglês).

GENIALLY ACADEMY

Learning landscapes

Benefícios dessa ferramenta pedagógica

Como vimos, as Paisagens de Aprendizagem são uma ferramenta pedagógica para gerar ambientes de estudo personalizados que liberam a criatividade e a imaginação de nossos estudantes, impulsionando a aprendizagem significativa. Essa é a chave e a primeira coisa que notamos: nossos estudantes aprenderão mais e melhor, e o farão com mais motivação.

Vamos orientar os estudantes a explorar e descobrir o conhecimento. Ou seja, aprender fazendo. Esses ambientes satisfazem a maneira como adquirimos conhecimento, não apenas como um meio onde o aprendizado ocorre, mas também por causa de sua flexibilidade para que cada aluno possa usar o conteúdo e resolver os desafios que propomos com base em sua maneira pessoal de aprender. Dessa forma, o corpo discente passa de passivo a agente ativo e se torna protagonista de seu próprio processo de aprendizagem, sendo nós, professores, os guias que conduzem esse processo.

Essa também é uma grande vantagem para nós, professores. É verdade que a criação dessa ferramenta envolve algum trabalho de preparação, mas, uma vez criada, ela permite que nos libertemos da rotina para desenvolver tarefas mais profissionais e criativas, gerando tempo em sala de aula para orientar e realizar um acompanhamento mais personalizado com os estudantes, com todos os benefícios que isso proporciona para seu desenvolvimento e aprendizado.

Sem dúvida, trabalhar com o Learning Landscapes nos ajuda a desenvolver em nossos estudantes habilidades que serão necessárias para seu desempenho profissional, como a resolução de problemas, a construção de estruturas e a compreensão de processos, tudo contextualizado em um ambiente real.

Picture of Margarita González del Hierro
Margarita González del Hierro
Bióloga, Designer, Divulgadora, Professora e Maker combinando paixões como VP do Setor Criativo em Genially.

Ler mais artigos

Imagem decorativa com a nova identidade da Genially

Genially: nova identidade e posicionamento

Na Genially, você vai encontrar muitas aventuras interativas, mais gamificação do que nunca, novos elementos visuais… Conheça a identidade mais dinâmica que a nossa marca já teve!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *